A Serra do Japi

A Serra do Japi é um raro remanescente de Mata Atlântica no Interior do Estado de São Paulo, detentora de 7% de remanescentes da formação original do bioma Mata Atlântica do Brasil. A riqueza de sua biodiversidade está diretamente relacionada ao fato de que a Serra do Japi possui uma condição climática diferenciada já que se localiza em uma região ecotonal, isto é, uma área de transição ou junção entre duas ou mais formações florestais. No caso, as Umbrófilas da Serra do Mar e as Semideciduais do interior paulista. Uma das características mais relevantes das áreas ecotonais é a alta diversidade de formas de vida.

De beleza paisagística inegável, formada por uma pequena cadeia montanhosa, a Serra do Japi possui uma formação rochosa composta por diferentes tipos de solo. Sua riqueza hídrica – fator que levou a denominação de “castelo de águas” por parte dos naturalistas europeus, conforme relata o professor Aziz Ab’ Saber, numa clara referência à qualidade e à quantidade de água da região.

Considerada “Reserva da Biosfera da Mata Atlântica” pela Unesco, suas características faz dela um importante Patrimônio Natural, sendo considerada uma das últimas grandes áreas restantes da Mata Atlântica do Brasil e do interior paulista ainda preservada em uma região densamente ocupada, representando uma das últimas grandes áreas de floresta contínua do Estado de São Paulo, sendo o testemunho de uma flora e fauna exuberante que existiam em grande parte na região sudeste do Brasil.

Localizada entre os municípios de Jundiaí, Cabreúva, Pirapora do Bom Jesus e Cajamar, a Serra do Japi estende-se por um total de 350 Km². Desse total uma área de 191,7 km² foi tombada pelo CONDEPHAAT (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico e Turístico do Estado de São Paulo).

As áreas tombadas entre os vários municípios são:
→ Jundiaí com 91,40 km² 47,67%
→ Cabreúva com 78,90 km² 41,16%
→ Pirapora do Bom Jesus com 20,10 km² 10,49%
→ Cajamar com 1,30 km² 0,68%

Mapa - Jundiaí, Serra do Japi, CONDEPHAAT Área Total

Representação das áreas tombadas pelo CONDEPHAAT nos municípios.

As diferenças de altitude, temperatura, umidade e solo encontrado na Serra do Japi contribuíram para a formação dos diferentes tipos de vegetação arbórea. As encostas e topos de morros fragilmente implantados funcionam como banco genético de vegetação tropical adaptada às áreas de solos ácidos e de baixa fertilidade natural, constituindo-se num importante refúgio para a fauna remanescente dos planaltos cristalinos interiores do Estado de São Paulo.

O território da serra, com aproximadamente 350 Km², vem sofrendo ações da atividade humana há pelo menos três séculos, com a exploração de madeiras, tentativa de utilização agrícola e mineração, freqüentemente desencadeando ações degenerativas sobre o ambiente local, como derrubadas de matas, incêndios florestais, queimadas, movimentações de terra e rocha e processos erosivos.

A cobertura vegetal, decorrente dessas ações, é formada por reflorestamentos, principalmente pinus e eucaliptos, pastagens e pequenas porções de culturas agrícolas. As matas naturais aparecem cobrindo a maior porção, tendo sido, em boa parte, fortemente modificada em função de incêndios e extrativismo florestal, diminuindo sensivelmente a ocorrência de floresta primária, dando espaço para as matas secundárias, não menos importantes.

A floresta do Japi possui uma grande diversidade de espécies de flora e fauna sendo dotado de um enorme e maravilhoso laboratório natural para estudos e pesquisas, o que pode propiciar o desenvolvimento da ciência para humanidade, o que a se torna importante  e com isso a sua imprescindível preservação.

A Prefeitura do Município de Jundiaí, por meio da Secretaria Municipal de Planejamento e Meio Ambiente, mantém dentro da Reserva Biológica Municipal da Serra do Japi, a Base de Estudos de Ecologia e Educação Ambiental “Miguel Castarde”, local onde há o apoio logístico a pesquisadores, principalmente estudantes de mestrado e doutorado, acolhe aulas de campo de cursos de graduação em ciências naturais e desenvolve trabalhos de educação ambiental.

próxima página »


▲ voltar ao topo


Fundação Serra do Japi

Av. da Liberdade, s/nº – 8º andar ala norte - Jundiaí – SP
(Paço Municipal Nova Jundiaí)
☎ +55 11 4589-8445

Av. Brazil Tãmega s/nº - Jundiaí – SP
(Base Ecológica da Serra do Japi)
☎ +55 11 3317-5058

*Para informações sobre visitas monitoradas (Projeto Nossa Serra) nos finais de semana e feriados ligar para:

☎ +55 11 4589-8566


Fundação Serra do Japi | Desenvolvido por CIJUN